Buscar
  • Ibbn

PEDRO CHOROU AMARGAMENTE – Osvaldo Gomes Jacob

Atualizado: 2 de Abr de 2020

O JORNAL BATISTA – ANO CXVIII, ED 28, DE 14/07/2019

PONTO DE VISTA – FÉ PARA HOJE


“Esta frase está em Lucas 22.62, após Pedro negar a Cristo e ser perscrutado pelo Salvador. O olhar de Jesus desencadeou em Pedro um choro profundo, amargo, a partir da sua incapacidade de bastar-se a si mesmo ao dizer que jamais negaria o Senhor (Lucas 22.33). O coração enganoso do discípulo foi desnudado diante do perfeito exame da parte do Messias (Lucas 22.34). O profeta Jeremias já havia falado sobre o coração enganoso, perverso, dissimulado do ser humano (17.9,10).


A consciência de seu erro crasso fê-lo derramar-se em choro amargo. A emoção de Pedro é o choro ácido, absinto, desagradável, repulsivo, quando ele tem nojo, repugnância, ânsia, engulho de si mesmo. Nenhum ser humano tem a vida mudada radicalmente enquanto não sentir nojo de si mesmo, repulsa pelos seus atos pecaminosos, libidinosos, altamente egoístas, interesseiros e dissimulados.


Jesus fez um perfeito diagnóstico do coração humano, especialmente religioso, ao afirmar: “Porque do coração é que saem os maus pensamentos, homicídios, adultérios, imoralidade sexual, furtos, falsos testemunhos e calúnias” (Mt 15.19). O choro amargo de Pedro foi o choro do arrependimento, da mudança, do quebrantamento. Na verdade, Deus tem prazer no coração quebrantado e contrito (Salmos 51.17).


Quando reconhecemos nossas mazelas, nossos comportamentos difusos e confusos estamos no caminho da cura. Jes