Buscar

DEUS CONOSCO

Atualizado: 8 de jul.

Existe uma frase atribuída a Louis Pasteur, que diz assim: “Um pouco de ciência nos afasta de Deus. Muito, nos aproxima”. Nos dias atuais, quando todos têm acesso a todos os tipos de informação, alguns têm se tornado doutores, formados pelos sites de busca e acham que conhecem bem a ciência, mas se afastam de Deus.


No que se refere à crença em Deus, temos três grandes grupos: os ateístas, os deístas e os teístas. Os ateístas negam a existência de Deus. Os deístas aceitam a ideia da existência de deus, mas que não se relaciona com o mundo e, temos os teístas que acreditam em Deus. Neste último grupo, temos, para exemplificar, os panteístas, que pregam que deus está em todas as coisas, mas há, também, os que acreditam num Deus pessoal e que intervém no mundo, como é o caso dos cristãos.



O cristianismo ensina que Deus é único, criador e sustentador do universo, como vemos nas palavras do Evangelho de Jesus narrado por João, que diz assim: “No princípio era aquele que é a Palavra . Ele estava com Deus e era Deus. Ele estava com Deus no princípio. Todas as coisas foram feitas por intermédio dele; sem ele, nada do que existe teria sido feito. Nele estava a vida, e esta era a luz dos homens. A luz brilha nas trevas, e as trevas não a derrotaram” (João 1:1-5). Disse mais:

“Aquele que é a Palavra estava no mundo, e o mundo foi feito por intermédio dele, mas o mundo não o reconheceu. Veio para o que era seu, mas os seus não o receberam. Contudo, aos que o receberam, aos que creram em seu nome, deu-lhes o direito de se tornarem filhos de Deus, os quais não nasceram por descendência natural, nem pela vontade da carne nem pela vontade de algum homem, mas nasceram de Deus” (João 1:10-13).

O cristianismo ensina que Deus intervém no mundo e o ápice desta intervenção foi Jesus Cristo, chamado nas Escrituras de “Emanuel”, que quer dizer Deus conosco. Ensina que o homem pecou, separou-se de Deus e que Jesus veio para, através do seu sacrifício na cruz, salvar aqueles que o aceitam.



A declaração mais antiga da crença do cristão, desenvolvida ao longo dos primeiros séculos, é esta:


“Creio em Deus Pai, Todo-poderoso, Criador do Céu e da terra. Creio em Jesus Cristo, seu único Filho, nosso Senhor, o qual foi concebido por obra do Espírito Santo; nasceu da virgem Maria; padeceu sob o poder de Pôncio Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado; ressurgiu dos mortos ao terceiro dia; subiu ao Céu; está sentado à direita de Deus Pai Todo-poderoso, donde há de vir para julgar os vivos e os mortos. Creio no Espírito Santo; na Santa Igreja Universal; na comunhão dos santos; na remissão dos pecados; na