Por Pr. Carlos Henrique - Mensagens Diárias de 24/09/2020

No que se refere à busca do conhecimento de Deus, há três tipos de pessoas: aqueles que não querem pensar ou investir tempo sobre o assunto, por não acreditarem ou não se importarem. Há os que querem saber se ele existe ou não, qual é a sua natureza, a pessoa, a obra e as suas ações. E há, também, aqueles que buscam a Deus impulsionados por suas necessidades ou crises existenciais manifestas em questões, tais como: “De onde vim?”, “Por que estou aqui?”, “Para que estou aqui?” e  “Para onde vou?”. Acredito que as duas últimas posturas devem estar presentes na vida do cristão: conhecer Deus e como conectar sua vida com Ele.


O salmista já dizia: “Como a corça anseia pelas correntes de água, assim minha alma anseia por ti, ó Deus. Tenho sede de Deus, do Deus vivo; quando poderei estar na presença dele?” (Salmos 42:1-2)


O grande pregador Spurgeon, em janeiro de 1855, terminou o seu sermão dominical com estas palavras: “Na contemplação de Cristo existe um bálsamo para cada ferida; na meditação sobre o Pai, há consolo para todas as tristezas, e na influência do Espírito Santo, alívio para todas as mágoas. Você quer esquecer sua tristeza? Quer livrar-se de seus cuidados? Então, vá, atire-se no mais profundo mar da Divindade de Deus, perca-se na sua imensidão, e sairá dele completamente refrescado e revigorado. Não conheço coisa que possa confortar mais a alma, acalmar as ondas da tristeza e da mágoa, pacificar os ventos da provação do que uma meditação piedosa a respeito da Divindade”.

Então, que nestes dias você posa mergulhar no mar do conhecimento de Deus, fazer a sua vontade e encontrar paz. 

0 visualização

Por Pr. Carlos Henrique - Mensagens Diárias de 22/09/2020

Nestes tempos de pandemia com calor intenso, umidade baixa do ar, a fumaça pairando sobre as cidades em virtude das queimadas no Pantanal, no Cerrado, na Amazônia, nos Pampas e na Mata Atlântica é perceptível que temos uma conexão muito forte com a natureza. Na realidade, somos, também, parte da natureza, do meio ambiente. O livro de Gênesis informa que somos feitos do mesmo material que os animais, do pó da terra. Então, esta conexão com o meio ambiente é muito mais forte do podemos imaginar.


A natureza é marcada pelas estações do ano: verão, outono, inverno e primavera. Estamos agora, no Hemisfério Sul, entrando na primavera, quando, no início, o dia e a noite tem a mesma duração, acontece o reflorestamento da flora terrestre, as flores florescem e as temperaturas ficam mais amenas, o que não acontece em Cuiabá, que é calor o tempo todo, exceto quando uma frente fria consegue vencer as barreiras naturais e chega até aqui.


A vida, também, é marcada pelas estações: o outono marca as dificuldades, as provações. Na natureza, as folhas caem e, na vida humana, é quando temos que abrir mão daquilo que não faz mais sentido. O inverno é o tempo de se recolher para ser recuperar, amadurecer, avaliar e aprofundar raízes, como as plantas fazem nesta estação. A primavera é o tempo de planejar, sonhar, plantar, revitalizar e florescer. E o verão é o tempo da produção, de mostrar o que planejou, de agir e de se expor.


A Bíblia diz: “Há um tempo certo para cada coisa; há um tempo certo para cada propósito debaixo do céu” (Eclesiastes 3:1). Talvez a humanidade esteja passando pelas estações do outono e inverno, caminhando para a primavera e o verão. Em que estação você está vivendo? Lembre-se disto: você precisa fazer a coisa certa, na estação certa. Não vista casaco de lã em pleno verão.

1 visualização
LOGO CONVENÇÃO.png
CONVENÇÃO 
BATISTA BRASILEIRA

tel. (65) 3628 2130

email: contato@ibbn.com.br

IGREJA BATISTA BOAS NOVAS

Av. Fernando Correa da Costa, 3155

Boa Esperança, Cuiabá, Mato Grosso, Brasil

© 2020 IGREJA BATISTA BOAS NOVAS - Min. Comunicação                                                                                                                                      versão: beta